Crises no autismo: Meltdown e Shutdown

Você já ouviu falar em Meltdown e Shutdown no contexto do autismo? Esses termos podem ser desconhecidos para muitos, mas são cruciais para compreender as experiências únicas de pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) em situações de sobrecarga emocional, sensorial ou social. Meltdown e shutdown são respostas a sobrecargas que podem afetar pessoas com TEA.

Você já ouviu falar em Meltdown e Shutdown no contexto do autismo? Esses termos podem ser desconhecidos para muitos, mas são cruciais para compreender as experiências únicas de pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) em situações de sobrecarga emocional, sensorial ou social.

Enquanto o meltdown é uma resposta de guerra, o shutdown é um “apagão” temporário. O comportamento do autista torna-se vazio, com capacidade limitada de comunicação. Pode envolver recusa em comer, parar de respirar ou se recusar a sair do lugar. Às vezes, o meltdown transforma-se em shutdown, marcando o início da recuperação.

Vários gatilhos, como acúmulo de demandas, mudanças abruptas de planos, sobrecarga sensorial ou social, lugares cheios, discussões, luzes fortes, estresses e novos lugares podem desencadear crises. É essencial identificar e minimizar esses gatilhos para apoiar eficazmente pessoas com TEA.

Durante um meltdown, é muito importante conhecer a pessoa afetada e garantir a segurança, removendo objetos perigosos. Manter a calma, não fazer muitas perguntas e oferecer orientações claras são estratégias úteis. Distrair a pessoa com coisas que ela gosta também pode ser eficaz.

Já durante um shutdown, a observação é essencial, garantindo que não haja perigo iminente. Tentar chamar atenção para interesses do autista pode auxiliar na reconexão com o ambiente.

Após uma crise, é fundamental conversar sobre o ocorrido, entendendo os gatilhos e explorando formas de prevenção. Cada autista é único, e compreender suas necessidades é crucial para fornecer apoio efetivo.

Meltdown e shutdown são desafios enfrentados por autistas de todas as idades. Ao compreender e compartilhar esse conhecimento, podemos criar ambientes mais inclusivos, nos quais todos contribuem para minimizar estímulos que levam a crises.

Referências:

1. Autism West Midlands – 21/11/2021
2. Ambitious About Autism – 21/11/2021
3. Autism Speaks – 22/11/2021
4. National Autistic Society – 22/11/2021
5. Centers for Disease Control and Prevention (CDC) – 23/11/2021

Deixar uma resposta

Skip to content